Make your own free website on Tripod.com

Anatomia do Pescoço

Anatomia topográfica do pescoço. Fáscias, trígonos e conteudos e estratigrafia cervical

Foram observadas as seguintes estruturas:

Fáscia Cervical Profunda (lâm. superficial e pré-traqual)
Músculo Platisma - Subcutâneo e está na fáscia cervical superficial
Músculo Esternocleidomastóideo - Vísivel na anatomia de superfície do pescoço e divide o trígono anterior do posterior. Liga o esterno, a clavícula e o processo mastóide. Corre na diagonal.
Músculo Trapézio - Foi possível observar sua borda superior
Veia Jugular anterior - bem superficial

Trígonos do Pescoço

Trígono Posterior do Pescoço

Limites
Borda posterior do esternocleidomastóideo
Terço médio da clavícula
Borda anterior do trapézio

Divisões e Conteúdo
Trígono Occipital: Passa o nervo acessório (NC-XI)
Parte do Plexo Cervical: n. auricular magno
n. occipital menor

Trígono Supra-clavicular: Veia Jugular externa
Artéria subclávia
Músculo Escaleno Anterior
Músculo Escaleno Médio
Artéria Transversa do Pescoço
Plexo Braquial (porção supra-clavic.)
Plexo Cervical: n. transverso do pescoço
n. supra-clavicular anterior
n. supra-clavicular médio
n. supra-clavicular posterior

Trígono Anterior do Pescoço

Limites
Linha mediana anterior do pescoço
Borda inferior da mandíbula
Borda anterior do m. esternocleidomastóideo

Divisões e Conteúdo
Trígono Múscular:

Limites: Ventre superior do m. homo-hióideo
Borda anterior do m. esternocleidomastóideo
Linha mediana do pescoço

Conteúdo: Músculo Esterno-hióideo
Músculo Esterno-Tireóideo
Músculo Tireo-hióideo

Trígono Submandibular:

Limites: Borda inferior da mandíbula
Ventre anterior do m. digástrico
Ventre posterior do m. digástrico

Conteúdo: Não foi possível observar a gl. submandibular

Trígono Submental (ímpar): Não foi possível observar os linfonodos submentais

Trígono Carotídeo:

Limites: Ventre superior do m. omo-hióideo
Ventre posterior do m. digástrico
Borda anterior do m. esternocleidomastóideo

Conteúdo: Art. Carótida comum: Artéria Carótida interna
Artéria Carótida externa
Seio carotídeo (Baroreceptores)
Corpo carotídeo (quimiorecept.) - não observado
Bainha carotídea: Artéria carótida comum (medial)
Veia jugular interna (lateral)
Nervo Vago (posterior e intermédio)
Artéria Tireóidea Superior
Artéria Tireóidea Inferior
Veias Tireóideas superior e média
Nervo Hipoglosso

Importante: A glândula tireóide é irrigada por duas artérias e drenada por três veias

Foi possível observar ainda a artéria subclávia e a veia subclávia
Visualizamos também o coração e o pulmão esquerdo

Estação 3

Loja tireaidiana, laringe, traquéia, faringe, esôfago cervical e glândula parótida

Faringe: Estende-se de C5 a T4

Divisões: Nasofaringe: Das coanas até a região inferior do palato mole

Coanas - abertura da cavidade nasal na faringe
Óstio da tuba auditiva
Torus tubário
Tonsila tubária

Orofaringe: Da região inferior do palato mole até a porção superior
da epiglote

M. palato-faríngeo
M. salpingo-faríngeo
M. palato-glosso
Região da tonsila palatina

Laringofaringe: Da região inferior da epiglote até a borda inferior da
cartilagem cricóide - T4


Musculatura: Foi possível observar apenas os músculos constritores superior, médio e inferior além do músculo estilofaríngeo
Observamos também a localização do espaço retrofaríngeo - entre a faringe e a coluna vertebral.
Pudemos observar a base da língua, úvula e região do ístmo das fauces - região oral da faringe logo na transição da boca para a orofaringe.

Laringe:

Divisões: Região Vestibular
Região Ventricular
Região Infraglótica

Cartilagens: Tireóide
Cricóide
Aritenóides
Epiglótica

Articulações: Cricotireoideas
Cricoaritenoideas

Vimos a localização das pregas vocais e vestibulares
Ligamentos: Tireoioideo
Crico-tireóideo
Crico-traqueal

Músculos: Fois possível observar apenas o m. cricoaritenoideo posterior -
abdutores das pregas vocais

Membrana Crico-tireoidea - membrana que liga a cartilagem tireóide à cricóide - local onde é feita a cricotomia de urgência.

Ádito à laringe - entrada da laringe
Ventrículo da laringe: Região entre a prega vestibular e a prega vocal
Valécula - depressão entre a prega glossoepiglótica mediana e as laterais

Tireóide:
Pudemos ver a glândula
Situada superiormente e superficialmente à bainha carotídea
O nervo laríngeo recorrente corre imediatamente medial a esta glândula tendo por isso grande importância cirúrgica essa relação
É constituída por dois lobos e o ístmo
O istmo localiza-se no nível do 2o. e 3o. anéis traqueais
Estende-se da região inferior à proeminência laríngea da cartilagem tireóide até o sexto anel traqueal. Desce lateralmente à traquéia nas porções laterais do esôfago.

Traquéia:
Observamos os anéis traqueais e a transição da laringe para a traquéia dada pela cartilagem cricóide. Sensível na anatomia de superfície
A traquéia está levemente deslocada à direita. Lateralmente à traqueía sobem as artérias caróticas comuns.

A Região parotídea está localizada entre o osso temporal e a mamdíbula e contém a glândula parótida que situa-se acima do m. masseter - na região lateral da face e possui um ducto que sai quase horizontalmente indo desembocar na boca, na base do 2o. molar. Passa por dentro da glândula parótida o nervo facial que dá cinco ramos que foram vistos. De superior para inferior são:
Ramo Temporal do Nervo Facial
Ramo Zigomático do Nervo Facial
Ramo Bucal do Nervo Facial
Ramo Mandibular do Nervo Facial
Ramo Cervical do Nervo Facial

Pudemos ver a relação entre:
Veia Jugular interna (lateral)
Nervo vago (intermédio)
Artéria Carótida interna (medial)
Saída do Nervo hipoglosso - ao lado do nervo vago

Na Região da cabeça foi possível observar:

Músculo orbicular dos lábios
Músculo depressor do ângulo bucal.
Músculo orbicular dos olhos
Músculo masseter
Músculo bucinador

Pudemos observar claramente a relação a seguir



 


Estação 4

Parede do tórax: musculatura, inervação, irrigação e mama no cadáver feminino

 

Estratigrafia do Tórax: Pele
Tela subcutânea - Camada areolar
Tela subcutânea - Camada lamelar
Fáscia profunda
Mama
Musculatura do Tórax
Caixa torácica
Músculos intercostais
Vísceras Torácicas

No Esqueleto articulados vimos as vértebras cerviais e torácicas e suas diferenças (as cervicais possuem forames nos processos transversos. Vimos as faces articulares costais nas vértebras torácicas). Vimos C7 - a vértebra proeminente, as clavículas as costelas e as cartilagens costais, a incisura jugular o ângulo esternal. A articulação intervertebral em nível dos corpos vertebrais é dada pelo disco intervertebral que proporciona mobilidade à coluna vertebral.

Vimos as partes do esterno: Manúmbrio
Corpo
Processo Xifóide

Abertura torácica superior: Limites: Primeira vértebra torácica
Primeiro par de costelas
Manúmbrio do esterno

Abertura torácica inferior: Limites: 12a. vértebra torácica
12o. par de costelas
Articulação xifoesternal

Na anatomia de superfície foi possível perceber as partes do esterno e, a partir do ângulo esternal encontrar a 2a. costela. Palpamos também as articulações esterno-claviculares.
Na costela reconhecemos o corpo, cabeça, ângulo e sulco (onde passa o feixe vásculo nervoso) - inferiormente

Vimos também: Músculo Deltóide
Sulco delto-peitoral - formado pelo m. deltóide e peit. maior
Veia cefálica - passa pelo sulco delto-peitoral
Veia axilar - suas três porções - supra-, retro- e infra-peitoral (em relação ao músculo peitoram menor)

 

Feixe Vásculo Nervoso: Veia intercostal Posterior (Superior)
Artéria intercostal Posterior (Intermédia)
Nervo intercostal Posterior (Inferior)
O feixe passa no sulco costal, inferiormente na costela. Acima da costela também passam pequenos vasos (artéria e veia).
O nervo é proveniente dos ramos ventrais dos nervos espinhais.

Musculatura: Músculos Intercostais: Externo (fibras oblíquas)
Interno (fibras perpendiculares)
Íntimo: não foi possível observar
Desempenha importante função nos movim. respirat.

Músculo Serrátil anterior
Músculo Peitoral maior e seu pedículo vascular
Músculo Peitoral menor

Vasos torácicos internos: Artéria torácica interna
Artéria torácica externa
A artéria torácica interna é ramo direto da artéria subclávia e a veia torácica interna drena para a veia subclávia. A artéria torácica interna (artéria mamária) está sendo utilizada para pontes arteriais no coração por motivos de facilidade cirúrgica e funcional - emite as aa. intercostais anteriores (não vistas).

Mamas: Limites da base: Verticalmente da 2a. à 6a. costelas
Lateralmente do esterno até a linha axilar média

Foi possível observar superficialmente: Aréola
Mamilo
Estratigrafia: Pele
Gordura
Tecido Glandular (alvéolos glandulares -parênquima mamário)
Fáscia profunda
Musculatura superficial do tórax

As mamas possuem rica irrigação arterial (a. torácica interna) e rica drenagem linfática dada principalmente pelos grupos de linfonodos axilares e paraesternais.
A mama é fixada à pele pelos ligamentos suspensores (ligamentos de Cooper). São faixas fibrosas entre a pele e a fáscia profunda (isto é, ao longo de toda a mama).
A drenagem linfática desta região é importante pois uma extração de mama por câncer deve ser acompanhada da extração dos linfonodos da região para evitar riscos de células cancerígenas caírem na corrente sanguínea e assim, desenvolver metástases em várias outras regiões.

As mamas ficam superficialmente aos músculos peitorais

Foi possível observar também na região do pescoço:
Veia Jugular Externa
Nervo auricular magno (que acompanha esta veia)
M. esternocleidomastoideo
Trígono Muscular do pescoço
Glândula submandibular
Artéria Carótida comum


Estação 5

Cavidade Torácica

Limites: Antero-lateral: Esterno e corpo das costelas de 1 a 10
Posterior: Coluna vertebral e musculos profundos do dorso

Vimos as duas grandes divisões: Mediastino
Cavidades pleurais

Pleuras e cavidades pleurais

Pleura: Tipos: Parietal (aderente à parede torácica)
Visceral (aderente a todas as superfícies do pulmão)

Partes: Costal - na região anterior da caixa torácica - antero-lateral
Mediastínica - cobre o mediastino - medial
Diafragmática - cobre a face superior do diafragma - inferior
Cervical - cobre o ápice do pulmão que pode chegar até a região cervical - superior

Reflexões: Costal
Esternal - deixa uma porção do pericárdio exposto

Recessos: Costodiafragmáticos - entre a pleura costal e diafragmática, no seu interior há um fluido que diminui o atrito e permite expansão pulmonar durante a respiração. Situado no nível da 8a. costela anteriormente. Posteriormente chega até o nível do 11o. espaço intercostal. O recesso costodiafragmático direito é um pouco mais fino devido à presença do fígado nessa região.
Costomediastínicos - localizados anteriormente nos 4o. e 5o. espaços intercostais. O esquerdo é maior (incisura cardíaca). Ao longo da borda anterior.

Estruturas torácicas observadas: Diafragma
Pulmão direito: Lobo superior
Lobo médio
Lobo inferior
Pulmão esquerdo: Língula
Lobo superior
Lobo inferior
Pericárdio: Fibroso
Seroso
Artéria Aorta
Traquéia
Tronco braquiocefálico
Nervo vago
Nervo frênico

Na região do pescoço observamos:

Músculo esternocleidomastoideo
Linfonodos cervicais
Ramos do plexo cervical
Descida do nervo frênico
Cartilagem Tireóide
Veia Jugular externa (seccionada)

Pulmões - da abertura superior do tórax até a 7a. costela anteriormente.
Diafragma - Cúpula (transição entre T8 e T9) - Porção Final (T12)
Coração - do 2o. ao 5o. espaço intercostal esquerdo

Foi observado o hilo pulmonar porém, nessa peça foi impossível distinguir as estruturas do hilo, sua sintopia e esqueletopia.


Estação 6

Pulmões: hilo pulmonar e segmentação brônquica, músculo diafragma

Identificamos nessa estação:

Pulmão: Ápice - na raiz do pescoço
Base - face diafragmática (em contato com o diafragma - inferior)
Raiz - Passagem do pedículo
Hilo - contém brônquios, vasos pulmonares e nervos

Pulmão direito: Hilo - Brônquio (superior)
Artéria (intermédia)
Veia (inferior)

Lobos - Superior
Médio
Inferior

Fissuras - Horizontal (divide superior e médio)
Oblíqua (divide superior e inferior)

Brônquios - Lobo superior: Apical
Posterior
Anterior
Lobo médio: Lateral
Medial
Lobo inferior: Superior
Basal anterior
Basal medial
Basal lateral
Basal posterior

Pulmão esquerdo: Hilo - Artéria (superior)
Brônquio (intermédio)
Veia (inferior)

Lobos - Superior (língula)
Inferior

Fissura - Oblíqua (divide superior e inferior)

Brônquios - Lobo Superior: Apical
Posterior
Anterior
Superior (lingular sup.)
Inferior (lingular inf.)
Lobo inferior: Superior
Basal anterior
Basal medial
Basal lateral
Basal posterior

Faces dos pulmões: Costal
Diafragmática
Mediastínica

Brônquios: Principal direito - mais calibroso, mais curto e mais vertical
Principal esquerdo - mais fino, mais comprido e mais inclinado. Abaixo da crossa da aorta e anterior ao esôfago.

Observamos: Artérias pulmonares
Veias pulmonares
Brônquios

Diafragma

Pudemos diferenciar sua cúpula e o centro tendíneo
Observamos os forames e hiatos, sua esqueletopia e seu conteúdo:

Hiato Aórtico - em nível de T12. Contém: Aorta, Ducto torácico e veias ázigos
Hiato Esofágico - em nível de T10. Contém: Esôfago e nervos vagos
Forame da Veia Cava - em nível de T8. Contém: Veia Cava

Na região torácica também observamos: Troncos dos grandes vasos
Traquéia
Esôfago
Nervos intercostais posteriores no pedículo vásculo nervoso das costelas


Estação 7

Mediastino


Divisão: Mediastino Superior
Mediastino Inferior: Anterior
Médio
Posterior

Mediastino Superior: Limites: abertura torácica superior
plano horizontal (ângulo esternal-Borda inf. T4

Conteúdo: Timo (não observado) - no adulto é gordura
Grandes Vasos: Aorta
Veia Cava Superior
Tronco braquiocefálico
Veias braquiocefálicas
A. carótida comum esq.
A. subclávia esquerda
Nervo vago
Nervo frênico
Traquéia
Esôfago
Nervo laríngeo recorrente
Arco Aórtico - posterolateralmente p/ esquerda
entre T2 e T4

Mediastino Anterior: Limites: anteriormente ao pericárdio
posteriormente ao esterno e parede torácica
é muito estreito

Conteúdo: Parte inferior do timo

Mediastino Médio Localização do Coração
Hilo pulmonar
Nervo frênico

Mediastino Posterior Limites: Anteriormente às vértebras T5 a T12
Posterior ao pericárdio e diafragma

Conteúdo: Aorta torácica (descendente)
Esôfago
Nervos vagos
Ducto Torácico
Veias ázigos (direito) e hemiázigos (esquerdo) tributárias da veia cava superior

Pudemos observar algumas relações:

A veia braquiocefálica esquerda cruzando a veia cava superior em nível do 1o. espaço intercostal.

Observamos o pericárdio com seu componente fibroso e seroso
Aorta descendente
Artéria Subclávia




Estação 1

Anatomia de superfície

No pescoço observamos: Borda Inferior da Mandíbula
Processo Mastóide
Tuber Occipital

Descendo no pescoço a partir do mento podemos sentir:

Osso hióide
Cartilagem Tireóide - Proeminência laríngea da cartilagem tireóide
Ligamento Cricotireoideo - C5
Cartilagem Cricóide - C6 - marca o fim da laringe e da faringe
Traquéia - Possível sentir a partir do 3o. anel. Os dois primeiros não podem ser sentidos pois superficialmente a eles localiza-se o istmo da glândula tireóide.

No Tórax: Articulação Manúmbrio-esternal ou ângulo de Lui - T4 e T5
Incisura Jugular - T2
Processo Xifóide - T11
Mamilo - localizado no 4o. espaço intercostal

Área Cardíaca:




















Localização das Valvas:






















Focos de Auscuta:























Linhas: Linha esternal - Linha mediana ao longo do maior eixo do esterno
Linha para-esternal - Linha longitudinal ao lado do esterno
Linha mamilar - Linha longitudinal que passa através do mamilo
Linha axilar anterior - Linha longitudinal a partir da prega axilar anterior
Linha axilar posterior - Linha longitudinal a partir da prega axilar posterior
Linha axilar média - Linha longitudinal entre as linhas axilares anterior e posterior

Observamos: Ângulo infra-esternal
Rebordos costais (cartilagens costais das costelas 7, 8, 9 e 10)
Costelas Verdadeiras - 1-7
Costelas Falsas - 8-10
Costelas Flutuantes - 11 e 12

Limites da Caixa Torácica: Superior: Abertura superior limitada pelo 1o. arco costal
Inferior: Limitada pelo ângulo infra-esternal e pelos rebordos costais compostos das cartilagens costais das costelas número 7, 8, 9 e 10


Estação 8

Coração

Foram observadas as seguintes estruturas:

Revestimento: Pericárdio Fibroso
Lâmina parietal do pericárdio seroso - aderida ao pericárdio fibroso
Lâmina visceral do pericárdio seroso - epicárdio
Espaço pericárdico
Miocárdio - músculo do coração

Divisões: Base: Formada principalmente pelo átrio esquerdo. Localizada posteriormente. Local por onde emergem a Aorta ascendente e o tronco pulmonar
Ápice: Formado pelo ventrículo esquerdo é a ponta do coração. Projeta-se inferolateralmente. Localizado posteriormente ao 5o. espaço intercostal na linha hemiclavicular

Faces: Esternocostal: Formada por ventrículo direito
Diafragmática: Formada pelo ventrículo direito e esquerdo. Apoia-se no centro tendíneo do diafragma. É separada da base pelo sulco coronário
Pulmonar: Formada principalmente pelo ventrículo esquerdo. Na região da incisura cardíaca.

Bordas: Direita: Formada pelo átrio direito
Inferior: Formada principalmente pelo ventrículo direito
Esquerda: Formada principalmente pelo ventrículo esquerdo
Superior: Formada pelas aurículas direita e esquerda

Câmaras cardíacas: Átrio Direito: Músculo Pectíneo
Aurícula direita
Septo interatrial - parede postero-medial do átrio dir.
Fossa oval
Limbo da fossa oval
Óstio de abertura do seio coronário - entre o orifício atrioventricular difeito e o orifício da veia cava inferior
Abertura das veias cavas superior e inferior

Ventrículo Direito: Infundíbulo ou Cone Arterioso - emergência do tronco pulmonar.
A parede do infundíbulo é lisa. O restante é rugoso devido às trabéculas
Trabécula Septo-marginal - conduz o ramo direito do feixe atriventricular
Músculos Papilares: Anterior
Posterior
Septal

Valva atrioventricular direita: Cúspide Anterior
(tricúspide) Cúspide Posterior
Cúspide Septal

Os músculos papilares prendem-se às suas respectivas válvulas (cúspides) por meio das cordas tendíneas


Átrio Esquerdo: Entrada das veias pulmonares (4)
Parede mais espessa que do átrio direito
Não há músculo pectíneo
Aurícula esquerda com mm. pectíneos

Ventrículo Esquerdo: Parede bem mais espessa que do ventr. direito
Músculos Papilares: Anterior
Posterior

Valva atrioventricular esquerda: Cúspide Anterior
Cúspide Posterior

Os músculos papilares prendem-se às suas respectivas válvulas (cúspides) por meio das cordas tendíneas assim como no lado direito.


Óstio da Aorta: Valva Aórtica: Válvula Posterior
Válvula Direita
Válvula Esquerda

Óstio da A. Pulmonar: Valva Pulmonar: Válvula Anterior
Válvula Direita
Válvula Esquerda

As válvulas desses dois óstios são válvulas semilunares.

Septo inter-ventricular: Porção muscular e membranosa

Irrigação: Artéria Coronária Direita: No sulco coronário
Ramos: Marginal direito (p/ o ápice)
Interventricular post. (p/ 2 ventr) Artéria do nodo sinoatrial

Artéria Coronária Esquerda: Ramos: Interventricular ant. (p/ 2 ventr)
Circunflexo

O ramo circunflexo dá o ramo marginal esquerdo

Veias: Seio Coronário: Corre na parte posterior do sulco coronário drena a maior parte do coração recebendo as veias principais
Veia cardíaca magna - drenam p/ o seio coronário
Veia cardíaca parva - drenam p/ o seio coronário
Veias cardíacas mínimas - desembocam direto no átrio direito